Maersk acelera a descarbonização da frota com 8 grandes navios neutros em carbono

No primeiro trimestre de 2024, o grupo A.P. Moller – Maersk apresentará o primeiro de uma série inovadora de 8 grandes navios porta-contêineres capazes de operar com metanol neutro em carbono. Os navios serão construídos pela Hyundai Heavy Industries (HHI) e têm uma capacidade nominal de aprox. 16.000 contêineres (equivalente a vinte pés — TEU).

O acordo com a HHI inclui uma opção para quatro embarcações adicionais em 2025. A série substituirá as embarcações mais antigas, gerando uma economia anual de emissões de CO₂ de cerca de 1 milhão de toneladas. Como pioneiros no setor, os navios oferecerão aos clientes da Maersk um transporte verdadeiramente neutro em carbono em escala em alto mar.

Mais da metade dos 200 maiores clientes da Maersk definiram ou estão em processo de definir metas ambiciosas com base científica, a exemplo do carbono zero para suas cadeias de abastecimento. Como parte da colaboração contínua da Maersk com os clientes – líderes de sustentabilidade corporativa – como Amazon, Disney, H&M Group, HP Inc., Levi Strauss & Co., Microsoft, Novo Nordisk, The Procter and Gamble Company, PUMA, Schneider Electric, Signify, Syngenta e Unilever se comprometeram a usar e dimensionar soluções de carbono zero para o transporte marítimo.

As embarcações vêm com uma configuração de motor bicombustível. O gasto de capital adicional (CAPEX) para a capacidade de combustível duplo, que permite a operação com metanol, bem como combustível convencional com baixo teor de enxofre, estará na faixa de 10 a 15% do preço total. Isso permitirá que a Maersk dê um salto significativo em seu compromisso em dimensionar soluções neutras em carbono e liderar a descarbonização da logística de contêineres.

Segundo o CEO da A.P. Moller – Maersk, Soren Skou, “a hora de agir é agora, se quisermos resolver o desafio climático do transporte marítimo”. “Este pedido prova que soluções neutras em carbono estão disponíveis hoje em todos os segmentos de navios porta-contêineres e que a Maersk está comprometida com o número crescente de nossos clientes que buscam descarbonizar suas cadeias de suprimentos. Além disso, este é um sinal firme para os produtores de combustível de que a demanda de mercado considerável pelos combustíveis verdes do futuro está surgindo rapidamente”.

A Maersk irá operar as embarcações com e-metanol neutro em carbono ou bio-metanol sustentável o mais rápido possível. Fornecer uma quantidade adequada de metanol neutro em carbono desde o primeiro dia de serviço será um desafio, pois requer um aumento significativo da produção de metanol neutro em carbono, para o qual a Maersk continua a se envolver em parcerias e colaborações com jogadores relevantes.

As embarcações serão projetadas para ter um perfil operacional flexível, permitindo-lhes um desempenho eficiente em muitos negócios e adicionando flexibilidade em relação às necessidades do cliente. Eles apresentarão uma configuração de propulsão de metanol desenvolvida em colaboração com fabricantes como MAN ES, Hyundai (Himsen) e Alfa Laval, que representam um aumento significativo da tecnologia do limite de tamanho anterior de aproximadamente 2.000 TEU. Os navios serão classificados pelo American Bureau of Shipping.

“Estamos muito entusiasmados com estas adições à nossa frota, que oferecerão acesso exclusivo ao transporte neutro em carbono em alto mar aos nossos clientes, ao mesmo tempo em que equilibra suas necessidades de custos competitivos de slots e operações flexíveis. Para nós, este é o tipo de navio de grande porte ideal para permitir o comércio global sustentável em alto mar nas próximas décadas e, a partir de nosso diálogo com potenciais fornecedores, estamos confiantes que conseguiremos obter o metanol neutro em carbono necessário”, afirma Henriette Hallberg Thygesen, CEO de Frota e Marcas Estratégicas na AP Moller – Maersk.

Os novos navios vêm como parte do programa contínuo de renovação da frota da Maersk e substituirão uma tonelagem de mais de 150.000 TEU que está chegando ao fim da vida útil e deixando a frota administrada pela Maersk entre 2020 e o primeiro trimestre de 2024.

O CAPEX para os navios anunciados está incluído na projeção atual para o biênio 2021–2022 de US$ 7 bilhões. A Maersk ainda reitera sua estratégia de manter uma capacidade de frota na faixa de 4,0 a 4,3 milhões de TEU, como uma combinação de embarcações gerenciadas pela Maersk.