Conab constata falta de caminhões para escoar soja e prevê produção menor em Mato Grosso

Fonte: Portal do Agronegócio-/

Mato Grosso deve registrar uma redução na produção de soja na safra atual. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mesmo com um aumento de 2,7% na área plantada, que chegou a 10,2 milhões de hectares, a produção deverá ser 0,6% menor, atingindo 35,6 milhões de toneladas

De acordo com a autarquia, em Mato Grosso, os trabalhos de colheita seguem atrasados, e estima-se que 56% da área de soja tenha sido colhida até o encerramento de fevereiro, enquanto que, na mesma data do ano passado, o acumulado era de 86,9%. Apesar disso, a Conab afirma que, de modo geral, a qualidade do grão é considerada satisfatória, mesmo com relatos pontuais de incidência de produto avariado e com a umidade superior aos padrões.

“Ainda assim, cabe destacar que as lavouras têm apresentado bom desempenho, e tais eventos não têm revertido os bons números da safra, e a produtividade média esperada é bastante positiva, na ordem de 3.473 kg/ha, patamar apenas 3,2% inferior ao recorde obtido no ciclo passado”, afirma a Companhia Nacional de Abastecimento.

Além do excesso de chuvas, a Conab cita que Mato Grosso também enfrenta problemas logísticos para escoar a safra. “Com a concentração dos trabalhos de colheita em fevereiro, surgem diversos gargalos de escoamento em pontos de descarga, a exemplo do Porto de Miritituba(PA), em detrimento da oferta de caminhões disponíveis, o que também ocasiona maior demora nos trabalhos de colheita à medida que faltam caminhões para oferecer fluxo logístico, inclusive na origem”.

Dados mais atualizados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontam que Mato Grosso colheu 67% da safra de soja até o dia 5 de março. No mesmo período do ano passado, o Estado havia colhido 91% da área plantada.