Tora investe cerca de R$ 5 milhões para operar Redex no Rio de Janeiro

Tora inicia operação de área de exportação no único terminal Redex com acesso ferroviário da zona portuária do Rio de Janeiro

Empresa, que investiu cerca de R$ 5 milhões em equipamentos e sistemas de segurança, homologou o Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex) e pretende dobrar a movimentação no local neste ano

Os exportadores brasileiros de grandes cargas —produtos siderúrgicos, rochas ornamentais, cerâmicas e produtos minerais, entre outros— passaram a contar com uma opção mais ágil, econômica e segura na zona portuária do Rio de Janeiro. Depois de investir cerca de R$ 5 milhões em equipamentos e sistemas de segurança e gestão, a empresa de soluções logísticas integradas Tora homologou, há cerca de um mês, o Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex) no terminal de 40 mil metros quadrados que mantém na região.

Um dos grandes benefícios oferecidos pelo Redex é a realização dos processos aduaneiros no próprio terminal, o que permite a redução de custos administrativos e operacionais e garante maior agilidade, praticidade e economia para os clientes. “Estamos com ótimas expectativas e pretendemos dobrar a movimentação de cargas no terminal em 2021”, afirma o diretor de Terminais da Tora, Gustavo Amaral. Atualmente, são movimentados, em números anualizados, cerca de 120 mil toneladas de produtos siderúrgicos e aproximadamente 6 mil contêineres com serviços integrados: armazenagem, segurança e monitoramento da carga, desde a origem até a entrega no porto.

Esse modelo de recinto não alfandegado é uma solução aos gargalos da zona primária de exportação, principalmente para evitar o congestionamento de cargas nos portos, que vem crescendo nos últimos anos. Localizado na zona secundária, o Redex da Tora é uma alternativa para a movimentação de mercadorias destinadas à exportação sob controle da fiscalização aduaneira. O local atende a uma série de requisitos estabelecidos pela Receita Federal e outros órgãos governamentais, como controle de acesso, gestão de toda a movimentação de cargas por meio de sistemas, capacitação dos colaboradores e monitoramento em tempo real de todas as cargas armazenadas.

De acordo com Amaral, outro atrativo para os clientes que pretendem se beneficiar com o Redex é a localização do terminal, com bons acessos rodoviários e exclusivo acesso à malha ferroviária operada pela MRS. “Nosso terminal Redex é o único com acesso ferroviário na zona portuária do Rio, um diferencial competitivo e extremamente relevante para vários players do mercado, que podem utilizar a integração entre os modais rodoviário e ferroviário para o transporte de cargas”, destaca o executivo.