Indústria de implementos deve fechar 2019 com aumento de até 25% nas vendas

Uma das maiores empresas do segmento leve do país colhe os resultados do bom momento. Tanto que precisou de uma nova sede para dar conta do aumento da produção
A indústria de implementos rodoviários, que serve como um bom indicador da melhora da economia brasileira, deve encerrar 2019 com aumento de até 25% nas vendas em relação a 2018, superior aos 15% projetados no início do ano pela Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir).

Uma das maiores empresas de implementos do país para o segmento leve, a 4TRUCK, colhe os resultados do bom momento. A indústria, sediada em Guarulhos, vem alcançando resultados expressivos desde 2017, e para manter a rota de crescimento, inaugurou oficialmente sua nova sede, agora com 12 mil m².

A mudança foi necessária em virtude das vendas, que cresceram de tal forma que deixou o antigo espaço pequeno demais para a produção e estocagem de veículos prontos para implementar. “Para se ter uma ideia, até o final de dezembro, nossa produção anual terá saltado 88% em comparação a 2017”, destaca o CEO da 4TRUCK, Osmar Oliveira. Já a produção de unidades móveis terá crescido 300%.

Na nova sede a empresa investiu aproximadamente R$ 1 milhão e a previsão é de injetar, pelo menos, mais R$ 500 mil em 2020. “Vamos adquirir mais algumas máquinas para otimizar nossa produção e aumentar a capacidade de entrega, em especial na movimentação interna e conformação de metais, como aço e alumínio; além de desembolsos na melhoria dos processos internos e aquisição de um novo sistema integrado de gestão”, completa Oliveira.

Diante da perspectiva do mercado e confiante no resultado das ações previstas, a empresa projeta crescer mais 20% em 2020. “É uma meta inicial conservadora, que pretendemos buscar considerando fatores como estrutura mais espaçosa e confortável, treinamento da equipe, novas máquinas e equipamentos, e uma carteira reforçada de grandes frotistas e transportadores, animados com os sinais do mercado”.

Quanto à contratação de mão de obra para o próximo ano, o gestor também pontua. “Aumentamos nosso quadro em 15% neste 2º semestre de 2019, e pretendemos aumentar outros 20% no 1º semestre do próximo ano. Temos mais espaço e bom volume de pedidos em carteira. É hora de acelerar e garantir a entrega aos clientes”, finaliza Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *