Cummins apresenta tecnologias em seus motores, para reduzir custo operacional

A Cummins Brasil, apresenta ao setor suas últimas novidades tecnológicas para motorizações Diesel, além de novos sistemas e soluções que trazem redução de custo operacional para os clientes.durante o 21o Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas – Fenatran 2017.

Equipes de engenharia da Cummins aperfeiçoam continuamente uma série de tecnologias aplicadas a veículos comerciais, que oferecem desempenho com níveis de emissões cada vez mais baixos. Tecnologias que amadurecem e são realidades viáveis com aprimoramento contínuo. O motor à combustão segue avançando tecnologicamente, com inovações que garantem impactos muito positivos na eficiência, confiabilidade, economia e aspectos ambientais.

Tecnologias Diesel

A Cummins Brasil comemora nova aplicação no segmento leves de caminhões com motorização nacional ISF 2.8 com tecnologia EGR e turbo de geometria variável – Recirculação de Gases Exaustão, A divisão Cummins Emission Solutions (CES), foi a responsável pelo desenvolvimento do pós tratamento de gases desta aplicação com o EGR. O novo pacote para os motores EGR inclui o DOC (Diesel Oxidation Catalyst), o PFC (Partial Filter Catalyst – Filtro Parcial de Material Particulado) e os sensores.

ISF 2.8 com tecnologia EGR

O seu motor nacional mais vendido, o ISF 3.8 com sistema SCR(Euro V) estará exposto durante a Fenatran, destacando os avanços obtidos nos processo de desenvolvimento do sistema Euro VI.“A Cummins entregou a tecnologia Euro VI para o mercado europeu em 2014 e, desde então, vem modernizando e aperfeiçoando uma nova plataforma de motores para inserir nos mercados emergentes. Estamos investindo para desenvolvermos produtos Euro VI mais eficientes, baratos e confiáveis”, diz Adriano Rishi, diretor executivo de Engenharia da Cummins para a América Latina.

Em fase de testes com as montadoras, a motorização ISG 12, é mais uma contribuição da Cummins para o sistema de transporte nacional. Inovação no que diz respeito a alta potência e baixo peso (860 quilos) para caminhões acima de 45 toneladas, o ISG 12 segue o conceito do desenvolvimento independente para os mercados globais da Cummins e define um novo padrão de plataforma global de motores pesados.

Ao seguir a tendência downsizing, o ISG 12 traz potência de até 510 hp e é oferecido por meio de um pacote compacto e leve, é a solução da Cummins para serviços de longa distância. A motorização incorpora o sistema de injeção de combustível Cummins Xtra-High Pressure (XPI), derivado do motor Série X, maior e mais potente. O sistema de combustível impulsionado pela alta precisão dos controles eletrônicos contribui com um torque máximo de 2.305 Nm. Os atributos também permitem ao motor Série G oferecer respostas mais rápidas em baixas rotações. A estratégia da tecnologia automotiva downzing é consolidada dentro dos trabalhos de engenharia da Cummins Brasil. O mais recente trabalho foi o ajuste de potência, torque e rotação realizado na motorização ISB 6.7. Esta versão entra em produção em dezembro deste ano e traz 310 cv de potência e torque de 1.100 NM a 1.110 rpm contra 290 cavalos, torque de 950 NM a 120 rpm do modelo anterior.

Motorização ISG 12

Soluções Cummins

Mesmo em cenário de retração econômica, a Cummins Brasil investe em tecnologias que trazem redução de custo operacional para os seus clientes e apresenta na maior feira de transportes do País grandes novidades como o Telematics e o Over The Air, além do Adept e o Fleetguard FIT,

Criado nos EUA, o Telematics chega ao mercado brasileiro como uma solução de monitoramento da condição do motor. “É um sistema que monitora as condições do motor via sinal de internet e possibilita o acompanhamento da frota ou de apenas um caminhão. Com ele é possível melhorar o intervalo de manutenção, redução de consumo e até realizar manutenções preditivas”, diz Torres. Outra grande vantagem do Telematics é o acompanhamento da condução do motorista para educá-los, evitando maiores desgastes, além do monitoramento da rota baseada nas condições atuais dos veículos por meio do módulo eletrônico, evitando possíveis falhas no decorrer do trajeto pré diagnosticado pelo sistema.

Evolução do sistema de soluções conectadas, o Over The Air permite executar atualizações de software do motor enquanto o caminhão ou até uma frota inteira está em operação. “A atualização elimina a necessidade de os clientes visitarem uma concessionária para atualizações de calibração do motor que podem normalmente levar três dias ou mais, além dos custos adicionais. Esta programação oferece redução significativa de custos, já que elimina o tempo de inatividade, enquanto melhora a confiabilidade e o desempenho do motor”, reforça Torres. Esta solução acaba de ser lançada no mercado norte-americano e está processo de adaptação para também ser inserida no País.

Já o Adept™ é um conjunto de recursos eletrônicos avançados que adapta, de modo dinâmico, às condições momentâneas de funcionamento para operação eficiente do veículo. O sistema vai instalado no motor e verifica automaticamente as condições de aceleração, monitorando em tempo real a performance da máquina de forma quase imperceptível ao usuário final.
O Fleetguard FIT é uma plataforma responsável pelo monitoramento das condições dos filtros do caminhão que, por meio de uma base de dados coletados com a telemetria e conectado ao smartphone, permite ao usuário final e/ou frotista acompanhar e receber informações sobre o período de intervalo de troca. O aplicativo calcula o delta de pressão e estima a vazão para sincronizar a necessidade de substituição dos produtos, ou seja, vai informar o momento exato da substituição, podendo estender o prazo, caso o ciclo de uso seja mais leve.

Eletrificação

Caminhão elétrico AEOS

A Cummins traz um legado de quase 100 anos de experiência na criação das melhores soluções para seus clientes de forma a garantir o sucesso e atender à demanda em constante evolução de seus mercados. Como estratégia para expandir seus negócios em todo o mundo, a Cummins investe na eletrificação.Para a empresa, a diversificação energética é fundamental para oferecer valor aos negócios e contribuir com um futuro sustentável.

De olho no futuro, a Cummins mostrou no mês passado um inédito protótipo de caminhão pesado elétrico nos EUA, demonstrando mais uma vez sua expertise para novas tecnologias. O caminhão elétrico Aeos tem autonomia de até 482 km com uma única carga e será usado como demonstração em aplicações de transporte rodoviário, entregas urbanas e atividades portuárias, como manuseio de contêiners.

O Aeos é um cavalo mecânico 4×2 rodoviário Classe 7 com peso bruto total (PBT) de 33,7 toneladas e capacidade para tracionar quase 20 toneladas de carga. As acelerações são até 35% mais rápidas em comparação com um veículo similar equipado com motores de 11 ou 12 litros. O torque máximo é de 346 kgf.m.

Em sua configuração básica, Aeos tem autonomia de 100 milhas (160 km). Na versão completa, são 300 milhas (482 km) com uma única carga. A recarga da bateria de 140 kWh dura uma hora, mas a Cummins já desenvolve uma solução que vai baixar este tempo para 20 minutos até 2020. Para auxiliar na recarga das baterias há freios regenerativos e painéis solares no teto do caminhão.

Mais informações: www.cummins.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.