Produção de caminhões anota alta de 13,9%

A produção de caminhões de janeiro a maio somou 29,2 mil unidades, registrando alta de 13,9% sobre o mesmo período do ano passado. O crescimento foi possível em razão de 10,7 mil unidades enviadas ao exterior.

As exportações cresceram quase 40% no confronto com iguais meses de 2016. Os maiores volumes embarcados são os de semipesados (3,9 mil unidades, alta de 69,5%) e pesados (3,8 mil, acréscimo de 28,2%).

“Em breve faremos uma revisão para cima de nossas projeções. Isso deve ocorrer em um ou dois meses, de acordo com novas definições no cenário político”, afirma Antonio Megale, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Pelas estimativas atuais, ainda sem a revisão, a entidade esperava para 2017 alta de 26,1% na produção dos veículos pesados e de 10% em suas exportações.

As vendas internas continuam abaixo da expectativa. Até maio foram licenciados no Brasil apenas 17,2 mil caminhões, volume 19,4% menor que o anotado nos mesmos cinco meses de 2016. Dos semileves aos pesados, todos os segmentos registraram queda de vendas. “Não é possível dizer se algum destes terá recuperação mais rápida que os demais. Vimos apenas a melhora em alguns nichos como distribuidores de bebidas, químicos e, no começo do ano, o setor canavieiro”, afirma o vice-presidente da Anfavea, Luiz Carlos Gomes de Moraes.

O executivo acredita em pequena retomada porque a base de comparação (o ano de 2016) é muito baixa e pelo fato de a idade média de grandes frotas estar avançando. O maior volume de vendas no País ainda é o de pesados, 6,2 mil no acumulado do ano ou 35,8% do total de caminhões licenciados no Brasil.

Fonte: Setcesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.