Truck center em Suape vai desafogar estradas

Patio de caminhões Complexo planeja área exclusiva para as operações de embarque e desembarque dos caminhões

O Complexo Industrial Portuário de Suape terá um truck center. O espaço será destinado aos caminhoneiros que transitam pelo local e que hoje não dispõem de uma área onde possam aguardar o horário de carregamento e descarregamento nos terminais. A diretoria de Suape está organizando uma audiência pública para buscar críticas e sugestões sobre o projeto. Em seguida, haverá a publicação do edital, o que deve acontecer até o final do ano.

“Nosso objetivo é resolver a ocupação de caminhões nas estradas do complexo. Realizaremos o chamamento das empresas interessadas em se habilitar. O edital terá as condições mínimas de estrutura que necessitamos e eles se habilitam”, afirmou o vice-presidente do complexo, Evandro Avelar. Segundo ele, a implantação de um centro como este é, inclusive, uma exigência da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

“Nós mapeamos uma área de 20 hectares que poderá ser desapropriada para este fim. Porém, temos conhecimento de empresas que estão instaladas no entorno do complexo e já possuem estrutura para atender a este público. Então elas podem se habilitar para oferecer o serviço nas áreas que já possuem a estrutura. Trabalhamos com a possibilidade de atuar com mais de uma empresa. Na licitação de ocupação da área, vence quem oferecer o melhor serviço e o menor preço”, ressalta Avelar.

Açúcar

O Porto de Suape já deu início à operação do terminal de granéis sólidos operado pela Odebrecht TransPort e da Agrovia. O projeto, localizado no cais 5 do ancoradouro, está em fase de pré-operação, realizando apenas o armazenamento do açúcar. Para atuar em pleno funcionamento, as empresas ainda aguardam a instalação do shiploader (equipamento responsável por levar os produtos por esteira até os porões das embarcações) e das correias transportadoras. Esse processo só deve ser concluído no primeiro trimestre de 2017. Até lá, o local armazenará açúcar.

Com R$ 58 milhões de investimento, o terminal ocupa uma área de 72,5 mil metros quadrados e atenderá esta safra com capacidade de armazenamento de 29 mil toneladas estática. Quando estiver em plena operação, o terminal empregará 160 pessoas. O projeto possui capacidade total de movimentação de 750 mil toneladas. A expectativa é de que a operação de embarque do açúcar nos navios seja agilizada. Hoje, leva em média 15 dias em navios de até dez mil toneladas. A média deve ser reduzida para sete dias em embarcações de 35 mil toneladas de capacidade.

Fonte:NTC & Logística/ Diário de Pernambuco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.