Região de Campinas registra queda de 50% nos fretes; espera chega a 15 dias

IMG_20160123_125905 Os caminhoneiros da região de Campinas (SP) registraram queda de 50% nos fretes no primeiro semestre de 2016, segundo dados da Federação dos Caminhoneiros de São Paulo (Fecam-SP). Em média, no estado, a queda foi de 30%. E a demora por um frete novo pode chegar a 15 dias nas empresas de agenciamento, segundo motoristas ouvidos pela EPTV, afiliada da TV Globo.

“Tem colega que fica 15 dias aqui sem carga. Não é que ele não queira carregar é que não tem mesmo oferta”, explica o motorista Vicente da Silva.

O também motorista José de Deus ressalta que além dos fretes estarem fracos, o valor baixo também é um problema a mais. “Aí você sai daqui com preço ruim e volta para casa sem dinheiro e com o tanque vazio”, lamenta. José de Deus é de Mato Grosso do Sul e espera uma carga há 11 dias em Campinas.

Para o economista Eli Borochovicius, a região de Campinas é considerada o “Vale do Silício”-região dos Estados Unidos que concentra empresas de inovações tecnológicas e científicas-  no estado. E como as exportações e importações apresentaram quedas, o reflexo é um número menor de cargas chegando ou saindo do Porto de Santos.

“O material que chega ao Porto de Santos é menor e não chega à cidade de Campinas. E como as exportações também reduziram a gente também está exportando menos”, afirma.

Para o economista, existe a expectativa de que nos próximos meses ocorram novos investimentos no país e a situação melhore para o setor de transporte de cargas na região.

Em regiões agrícolas, as quedas de fretes foram menores, já que o agronegócio foi um dos poucos não afetados pela crise financeira nacional.

Fonte: G1 Campinas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.