Caminhoneiros Queixam-se do alto valor do Exame Toxicológico em MS

A suspensão e a volta da obrigatoriedade do exame toxicológico para renovar a habilitação têm causado confusão para os motoristas profissionais. A decisão judicial de suspensão da liminar, conseguida pela Abratox, ainda não é de conhecimento da categoria.
caminhoneiro André Sales, que só precisará renovar a CNH em 2017, disse que o exame não afeta diretamente seu trabalho. “Não me atinge porque não uso drogas, posso fazer os testes que eles quiserem, mas somos nós quem pagamos, não é? Eles não fazem nada para nos ajudar nesse sentido”, disse.
Ubiratan Xavier, também caminhoneiro, concorda. “Mais um exame para nossa conta. A gente já faz o exame de vista, agora esse. Eles não nos ajudam”, queixou-se.
Colega de trabalho de Ubiratan, José Lenis declarou se sentir afetado financeiramente. “A volta do exame nos afeta por causa do valor que temos que desembolsar. Hoje gastamos por volta de mil reais para renovar a carteira. Primeiro eles alegaram que a suspensão era pela falta de laboratórios na cidade, agora voltam com o exame”, pontuou.
No mês passado, o Detran recorreu da decisão de obrigatoriedade à Justiça, por entender que a resolução  não possui aplicabilidade técnica e gera alto custo para os motoristas.
Hoje, somente seis laboratórios estão credenciados para a realização do teste, todos eles em São Paulo. As cidades baianas, incluindo Salvador, possuem postos de coleta do material usado para o exame.
FONTE: A Tarde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.